top of page

11 97373-1913

DETALHES DO PACOTE

Neste pacote estão incluídos: Transporte com seguro, Hospedagem (quartos triplos e quádruplos, verificar disponibilidade e valores para quarto individual ou de casal – Pousada Barcelos), Alimentação (07/04: café da manhã, lanche de trilha e jantar / 08/04: café da manhã, almoço e jantar / 09/04: café da manhã e almoço), Atividades (07/04: Parque Nacional da Serra da Canastra – parte alta, Centro de Visitantes, Nascente do Rio São Francisco, Mirante da Casca D’anta, Cachoeira Casca D’anta – parte alta, Cachoeira Rasga Canga e Curral de Pedras / 08/04: Cachoeira da Chinela, Praia do Rio São Francisco, Parque Nacional da Serra da Canastra – parte baixa, Cachoeira Casca D’anta – parte baixa e Empório Velho Chico / 09/04: Complexo de Cachoeiras do Capão Forro – Cachoeiras do Lobo, Capão Forro e da Mata), Seguro viagem (Porto Seguro), Traslados em veículos 4x4, Entradas no Parque Nacional da Serra da Canastra (07 e 08/04), Entrada na Cachoeira da Chinela (08/04), Entrada no Complexo de Cachoeiras do Capão Forro (09/04), Certificado Digital de participação (30 horas aula) e biólogo acompanhando todas as atividades.

No feriado de Páscoa, iremos levá-los ao Parque Nacional da Serra da Canastra, que é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral situada na região sudoeste do Estado de Minas Gerais, protegendo as bacias hidrográficas do Rio São Francisco, Rio Grande e Rio Paranaíba e parte do território dos municípios de São Roque de Minas, Capitólio, Vargem Bonita, São João Batista do Glória, Delfinópolis e Sacramento.

O Parque Nacional da Serra da Canastra foi criado pelo Decreto nº 70.355, de 3 de abril de 1972, destaca-se por proteger as nascentes das bacias dos Rios São Francisco, Araguari e Santo Antônio e proteger a população do Pato-mergulhão (Mergus octosetaceus), bem como seus locais de forrageamento e nidificação. Compreende uma área de aproximadamente 200.000 hectares. Na criação do Parque Nacional da Serra da Canastra, a desapropriação de terras e a não aceitação dos limites dessa Unidade de Conservação (UC) por parte da comunidade local foram motivos de conflitos. Do total da área decretada, 71.525 hectares estão com a situação fundiária regularizada, ou seja, sendo gerida pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), enquanto os outros 130.000 hectares são constituídos por propriedades privadas, não estando ainda regularizadas.

Essa Unidade de Conservação está inserida no Bioma do Cerrado, um dos Biomas mais ameaçados do país, desta forma o Parque Nacional da Serra da Canastra é identificado como um dos mais importantes instrumentos de proteção deste ambiente natural significativo. Nele é possível observar diversas fitofisionomias existentes no Bioma: Formações Savânicas (Cerrado Sentido Restrito e Cerrado Rupestre), Formações Campestres (Campo Limpo, Campo Sujo e Campo Rupestre) e Formações Florestais (Floresta Mesófila, Mata Paludosa, Mata de Encosta e Cerradão).

As maiores altitudes beiram os 1.500 metros de altitude e em vários locais suas variações são abruptas, inclusive nas estradas, que ainda sofrem sérias intempéries e erosões na época das chuvas. Por essa razão, todos os traslados serão feitos em veículos 4x4.

No primeiro dia (sexta-feira – dia 07/04), conheceremos a parte alta do Parque Nacional da Serra da Canastra, iniciaremos as atividades no Centro de Visitantes onde iremos observar algumas fotos, rochas e painéis com dados de pesquisas realizadas sobre a biodiversidade da região. Logo depois visitaremos a nascente do Rio São Francisco, um lugar singelo, com uma trilha de rochas que leva até a imagem de São Francisco e a nascente, onde o “Velho Chico” começa a longa viagem de quase 3.000 quilômetros até o litoral do Nordeste. O marco da nascente do Rio São Francisco é uma imagem de São Francisco de Assis segurando um livro, a população local diz que a imagem desce do pedestal em noites de lua cheia para curar os animais feridos. Na placa abaixo da imagem está gravada a oração de São Francisco de Assis (conhecido mundialmente como o padroeiro dos animais e da ecologia). Após conhecermos a nascente do Rio São Francisco, iremos subir até o Mirante da Cachoeira Casca D’anta para observarmos os vales do entorno da UC. Teremos a oportunidade de tomar banho na Cachoeira Casca D’anta (parte alta), que é a maior queda do Rio São Francisco, uma libertação dessa belíssima formação geológica, para, em seguida, seguir o seu caminho até a divisa dos estados de Sergipe e Alagoas. A última cachoeira que iremos conhecer no primeiro dia, será a Cachoeira Rasga Canga, que é formada pelo córrego do Rolinho, com quatro quedas sendo a maior delas com aproximadamente 15 metros de altura de água verde e cristalina. Com dois poços para banho e diversas “banheiras”. Em um dos poços a água tem duas temperaturas marcantes no final da tarde que varia quente na superfície e fria conforme o mergulho. Para finalizar o dia iremos ao Curral de Pedras, a área é o que restou de um antigo “retiro”, fazenda de uso temporário, geralmente no inverno, quando o gado de leite era levado para as partes altas da Serra. Devido à destacada altitude em relação ao Chapadão, o local é ótimo para observar o pôr-do-sol e pegadas de alguns animais.

No segundo dia (sábado – dia 08/04), começaremos as atividades na Cachoeira da Chinela. Logo na entrada encontramos uma bela casa de roça feita de barro, e ao seguir a trilha, o poço da cachoeira é ótimo para um bom banho. Também iremos nos banhar em uma das praias do Rio São Francisco. Após o almoço, conheceremos a parte baixa do Parque Nacional da Serra da Canastra onde visitaremos a parte baixa da Cachoeira Casca D’anta, que tem 186 metros de altura, sendo considerada a maior queda do Rio São Francisco e está localizada no paredão sul da Serra da Canastra. Nas cheias, o volume de água forma uma coluna de aproximadamente 50 metros de largura. Para finalizar as atividades do segundo dia, visitaremos o Empório Velho Chico. Não tem como visitar a Serra da Canastra e não conhecer uma fazenda de produção do queijo Canastra. No Empório Velho Chico encontraremos os melhores produtos da região, feitos com muito carinho, de maneira tradicional e aquele sabor mineiro.

No terceiro e último dia (domingo – dia 09/04), iremos conhecer as Cachoeiras do Capão Forro, trata-se de um conjunto de cachoeiras e piscinas naturais excelentes para banho. O nome Capão Forro remonta a época dos quilombos, muito comum na região, e é derivado das palavras alforria e capão que significa mata, dando assim o conceito de “mata do liberto ou escravo livre”. Nesse conjunto, conheceremos as Cachoeiras do Lobo, Capão Forro e da Mata.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

É indispensável e obrigatório para o embarque:
Viagens Nacionais:
- Registro Geral (RG) Original;
- ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH) Original;
- ou Passaporte Original (para estrangeiros que não possuem RNE);
- Comprovante de vacinação da COVID-19.

No caso de crianças menores que 16 anos, é obrigatório dentro do Brasil:
- Levar um dos documentos acima ou Certidão de Nascimento Original;
- Autorização preenchida pelos responsáveis e reconhecida em cartório (no caso dos pais os responsáveis não estarem presentes).

Importante: Por se tratar de uma Lei Federal e estar fora do nosso controle, o viajante que não portar nenhum destes documentos estará impossibilitado de continuar na viagem.

Informações
11 97373-1913 (WhatsApp)
caue@obichobiotrips.eco.br
contato@obichobiotrips.eco.br

www.obichobiotrips.eco.br
www.facebook.com/obichobiotrips
www.instagram.com/obichobiotrips

ROTEIRO DETALHADO

Início 06/04/2023 às 21h00
Término 09/04/2023 às 23h00

Parcelado em até 12x no cartão de crédito (com juros)

R$ 1.860,00

VALORES

Local de embarque e desembarque – Portão 2 do Memorial da América Latina (Rua Tagipuru)

Páscoa - Parque Nacional da Serra da Canastra

São Roque de Minas/MG

bottom of page