Parque Estadual da Serra do Mar (núcleo Bertioga), Parque Estadual da Restinga de Bertioga e Terra Indígena Rio Silveiras

  Criado em 1977 e ampliado em 2010, o Parque Estadual Serra do Mar (PESM) é a maior Unidade de Conservação de toda a Mata Atlântica. Seus 332.000 hectares protegem 25 municípios paulistas, conectando as florestas da Serra do Mar desde o Rio de Janeiro e Vale do Ribeira, até o Paraná.

  Suas escarpas dominam a paisagem do litoral paulista, suas florestas abrigam e protegem centenas de espécies de aves e outros animais ameaçados, como felinos e primatas. Entre jequitibás, jatobás, uricuranas, canelas, cedros, manacás-da-serra, guanandis, guapuruvus e palmeiras-juçara, abrigam-se a onça pintada, onça-parda, mono-carvoeiro, bugio, jaguatirica, anta, paca, quati, lontra, tucano-de-bico-preto, tucano-de-bico-verde, araçaris, araponga, jacu-açu e centenas de outras aves.

  O núcleo Bertioga é considerado um marco na conservação da Mata Atlântica da região. Seu território fazia parte do Núcleo Itutinga Pilões, formando uma extensão muito grande e de difícil gestão.

Hoje, compreende uma área de aproximadamente 30.000 hectares e abrange dois municípios: Bertioga e Biritiba-Mirim. Considerada o trecho litorâneo paulista mais preservado de Mata Atlântica na atualidade, a área de planície de Bertioga compõe este núcleo.

  Também contribui na regulação da qualidade do ar e do clima, na proteção dos morros, encostas e solos, na polinização, no turismo e na capacidade de proporcionar lazer e bem estar aos visitantes e moradores do entorno.

  Em adjacência ao Parque Estadual da Serra do Mar (núcleo Bertioga), encontra-se o Parque Estadual Restinga de Bertioga (PERB), UC criada no mesmo ano e sob a mesma gestão, constitui importante corredor ecológico entre ambientes marinho-costeiros, a restinga (PERB) e a Serra do Mar (PESM), formando um continuo cuja proteção é fundamental para garantir a perpetuidade dos seus processos ecológicos e fluxos gênicos. Abriga rica diversidade de ambientes (dunas, praias, rios, florestas, manguezais) e uma variada vegetação de restinga, na qual vivem animais raros e ameaçados de extinção.

  Na divisa de Bertioga com o município de São Sebastião, encontra-se um registro vivo da história do Brasil. Lá, iremos visitar a Terra Indígena Rio Silveiras, que hoje abriga cerca de 500 índios da etnia Guarani.

A aldeia está localizada na Praia de Boracéia e no local as famílias cultivam palmito e plantas ornamentais, produzem artesanato e mantém acesa a chama do conhecimento da sua cultura. Na Aldeia teremos uma palestra com o Cacique, grupo de canto e exposição de artesanato. Uma vivência em meio aos índios.

 

​Disciplinas abordadas: Antropologia, Artes, Biologia, Ecologia, Geografia, Geologia, História e Sociologia.

 

Nível: Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Ensino Superior.

Entre em contato com a nossa equipe para que possamos enviar o projeto detalhado (clique aqui).

O Bicho Biotrips Estudo do Meio e Educação Ambiental

 

Rua Dom Bento Pickel, 465 - Casa Verde

01415-000 - São Paulo / SP

(11) 2236-4626

(11) 97373-1913

 

E-mail: contato@obichobiotrips.eco.br

Redes Sociais

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Trip Advisor Social Icon
  • YouTube ícone social

2019 - Todos os direitos reservados - O Bicho Biotrips Ecoturismo LTDA.