Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) e IPBio - Reserva Betary

  O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), criado em 1958, é uma das Unidades de Conservação (UC’s) mais antigas do Estado de São Paulo. Possui 35.772 hectares e está inserida nos municípios de Iporanga e Apiaí. O Parque tem sua área coberta pela densa e exuberante vegetação do bioma da Mata Atlântica e integra a Zona Núcleo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA). A área é considerada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) um Patrimônio Natural da Humanidade, pois reúne uma das maiores coberturas vegetais do Bioma de Mata Atlântica mais preservada do Brasil.

  O PETAR faz parte do Mosaico de UC’s do Contínuo Ecológico de Paranapiacaba, composto ainda pelo Parque Estadual Intervales, Parque Estadual Carlos Botelho, Parque Estadual Nascentes do Paranapanema, Estação Ecológica Xitué, Área de Proteção Ambiental dos Quilombos do Médio Ribeira e Área de Proteção Ambiental Estadual da Serra do Mar.

  Devido ao alto nível de preservação da região, o PETAR abriga espécies da Mata Atlântica típico de matas primárias (vegetação com alto grau de preservação, quase sem intervenção humana, com árvores entre 25 e 30 metros de altura), como Canela, Jatobá, Figueira, Cedro e Palmeira-juçara. Esta última, considerada espécie-chave na cadeia alimentar da fauna do Bioma, mas infelizmente sofre a ameaça de extinção devido à extração e comercialização ilegal do palmito.

  Resultante ainda do enorme corredor ecológico da região, o PETAR apresenta espécies de animais de amplo território, como a Onça-pintada, Onça-parda, Anta, Mono-carvoeiro, entre outros.

   A região é um dos conglomerados de cavidades naturais subterrâneos mais ricos do planeta Terra, com cerca de 2.000 cavernas, sendo 300 catalogadas pela Sociedade Brasileira de Espeleologia (SBE). A formação das cavernas na região ocorre a partir das águas pluviais saturadas de ácido carbônico, provenientes dos solos ricos e férteis da mata preservada, que penetram nas fissuras rochosas e desgastam o calcário presente na formação geológica da região, abrindo dutos e galerias, e assim originando as cavidades naturais, as cavernas calcárias. 

  O Instituto de Pesquisas da Biodiversidade (IPBio) tem sua primeira unidade localizada na Reserva Betary, uma área preservada de 60 hectares. A equipe da Reserva Betary, inspirada pela riqueza da biodiversidade, vem realizando um monitoramento que gerou um acervo de fotos e vídeos com mais de 15 mil registros dos hábitos e comportamentos dos seres vivos encontrados na área.

Disciplinas abordadas: Antropologia, Artes, Biologia, Ecologia, Geografia, Geologia, História e Sociologia.

Nível: Ensino Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Ensino Superior.

Entre em contato com a nossa equipe para que possamos enviar o projeto detalhado (clique aqui).

Trilha do Betari
Trilha do Betari

É a trilha mais visitada e uma das mais belas do PETAR, durante o percurso teremos a oportunidade de conhecer as Cavernas Água Suja e Cafezal e as Cachoeiras das Andorinhas e Betarizinho. A trilha segue margeando o Rio Betari, formando ao longo do seu curso inúmeras piscinas naturais, resultando num cenário singular.

Caverna Água Suja
Caverna Água Suja

A Caverna Água Suja localiza-se a aproximadamente 1,2 km da Trilha do Betari, o percurso interno inicia-se no seu belo pórtico, seguindo o curso do rio onde teremos a oportunidade de observar grandes formações de espeleotemas.

Cachoeira das Andorinhas
Cachoeira das Andorinhas

É considerada por muitos a cachoeira mais bela do PETAR, a queda é formada pelas águas do Rio Betari.

IPBio - Reserva Betary
IPBio - Reserva Betary

O local permite o desenvolvimento de árvores, palmeiras e samambaiaçus. A estrutura abriga um bromeliário, área para germinação de sementes, produção de mudas e composição de habitats típicos da região. Também faz parte da estufa a sala escura, construída para observação de espécies de fungos bioluminescentes.