top of page

Parque Estadual Ilha do Cardoso (núcleo Marujá)

O registro está fechado
Ver outros eventos
Parque Estadual Ilha do Cardoso (núcleo Marujá)
Parque Estadual Ilha do Cardoso (núcleo Marujá)

Horário e local

18 de nov. de 2022, 21:00 – 20 de nov. de 2022, 22:30

Parque Estadual Ilha do Cardoso , Estrada Municipal AHB, 171 - Cananéia, SP, 11990-000, Brasil

Convidados

Sobre o evento

Entre os dias 18 e 20 de novembro, iremos visitar o Parque Estadual Ilha do Cardoso (núcleo Marujá). Uma das regiões declarada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade e também portadora do título da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

O Parque Estadual Ilha do Cardoso é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, localizada no extremo sul do Estado de São Paulo, é a primeira área insular especialmente protegida e criada em 1962 pelo Governo do Estado de São Paulo. Em seus mais de 13 mil hectares há diversos ecossistemas do Bioma Mata Atlântica que proporcionam uma variedade de ambientes de grande diversidade biológica. O parque é banhado a leste pelo Oceano Atlântico, a oeste pelo Canal de Ararapira, a norte pela Baía de Trapandé e a sul pela Barra de Ararapira. Integra uma das maiores áreas contínuas de floresta primária. Os cenários da região são formados por costões rochosos, praias, braços de mar, estuários, barras, lagunas, restingas, manguezais, rios, planície litorânea, ilhas e morros cobertos de vegetação nativa. Constituindo assim um complexo conjunto de ecossistemas, no qual já foram catalogadas quase mil espécies de plantas, destacando-se as epífitas (Orquídeas e Bromélias), além de Ipês, Canelas, Palmeira-juçara, Caixeta e Jequitibás. Quanto à fauna, ocorrem espécies ameaçadas de extinção, como Papagaio-de-cara-roxa, Jacutinga, Guará, Jaó-do-litoral, Bugio, Onça-parda e Jacaré-do-papo-amarelo. Além das riquezas naturais, o Parque da Ilha do Cardoso abriga um patrimônio histórico-cultural excepcional, formado por sambaquis, ruínas e Comunidades Tradicionais (Povos tradicionais da etnia Guarani e Caiçaras).

Sairemos de escuna no píer do município de Cananéia até a Comunidade Tradicional Caiçara do Marujá. O percurso será pelo Complexo Estuarino Lagunar (um dos mais importantes ecossistemas costeiros, reconhecido como um dos maiores viveiros de espécies marinhas do mundo), um passeio de aproximadamente três horas, onde teremos a possibilidade de observar os Botos-cinza, que surgem atraídos pelas marolas da embarcação e nos presenteiam com suas exibições.

As atividades começarão após o café da manhã, o primeiro ecossistema visitado será a restinga (espaço geográfico formado por depósitos arenosos paralelos à linha da costa, de forma geralmente alongada, produzido por processos de sedimentação, onde encontraremos diferentes espécies de plantas com um impressionante grau de adaptação a influência marinha), depois caminharemos pela praia do Marujá até o ecossistema do costão rochoso (ecótono formado por rochas situado na transição entre os meios terrestre e aquático. É considerado muito mais uma extensão do ambiente marinho que do terrestre, uma vez que a maioria dos organismos que o habitam, estão relacionados ao mar), praia da Laje e a mata de encosta. Ou seja, somente pela manhã, teremos a oportunidade de conhecer e descobrir a importância de quatro ecossistemas (restinga, praia arenosa, costão rochoso e mata de encosta).

Após o almoço, iremos de escuna pelo Canal do Ararapira até a Trilha da Cachoeira Grande (trilha de nível médio, com cerca de 800m). A trilha tem como destino à Cachoeira Grande, localizada ao sul da Unidade de Conservação que possui 15m de altura e várias quedas que terminam em uma piscina natural.

No dia seguinte, iremos para a Trilha do Manguezal (chamados de berçários dos oceanos, o manguezal, juntamente com o estuário, são ambientes muito importantes onde à mistura das águas doce dos rios e salgada do mar apresenta uma vegetação única e altamente adaptada às condições das marés e a salinidade). Os manguezais são ecossistemas que ocorrem em regiões tropicais e subtropicais nas áreas costeiras, especialmente nas regiões calmas que se formam no encontro do rio com o mar. Nestas condições os sedimentos e a matéria orgânica particulada assentam-se nas margens formando cordões lodosos. Nessas planícies lodosas, periodicamente alagadas pelas marés, as árvores de mangue são as únicas a se estabelecerem, formando um ecossistema com muito abrigo e alimento para várias espécies de seres vivos que representam uma imensa cadeia trófica.

Estamos totalmente envolvidos com a valorização do trabalho e manutenção da cultura, tradições e os costumes das Comunidades Tradicionais inseridas ou no entorno das Unidades de Conservação que visitamos. Por isso, fazemos questão de contratar os profissionais locais em todas as atividades desenvolvidas. A inclusão da Comunidade Tradicional local é uma das premissas das práticas do Turismo de Base Comunitária.

Ingressos

  • À partir

    Pode ser dividido em até 12x no cartão de crédito (com juros).

    R$ 680,00
    Taxa de serviço de R$ 17,00
    Vendas encerradas

Total

R$ 0,00

Compartilhe esse evento

bottom of page